fora do tempo

Por Venancio de Oliveira

Nas espumas delirantes do tempo

imagino teu contar

de cheiros (im)permanentes

de olhares verdes de

inconsequentes cadeias

fora do tempo

das dores

e

dos desamores

Quero outro doce insano

do nosso impertinente sonho

quero outra vez tocar na

tua pele e sentir

você aqui em planos

concretos de futuros certosfora do tempo

É tão fácil viver no desejo,

mas difícil ver você sorrir

mas quando isso acontece

toda onda é válida

toda arte é metáfora

Devo abraçar as espumas

Deixa que a gostosa forma

Deixa que a charmosa fragrância

se desfaça em teu rosto

marcado de dor.

Ver o post original

Anúncios