A revolução e o amor são improváveis

Por Venancio de Oliveira

Segundo a Escola da Improbabilidade, a revolução e o amor são improváveis, mas não inexistentes e por isso são completamente finitos e inscritos na realidade da mortalidade, tem começo, meio e fim e seu retorno é improvável.

Assim essas ideias invalidam completamente a possibilidade da imortalidade, pois sua singularidade é tão universal que a sua mera existência desafia qualquer noção de permanência e regularidade.

Pois quaisquer ideais de reprodução em massa do amor e da revolução matam a própria noção destes elementos.

Isso faz o delírio da escola dos Improváveis (1) uma certeza inabalável.

Eles argumentam que a repetição é ilusória, se por um lado em geral é farsesca, pois acuaderno imortal autenticidade de novas revoluções ou amores está diretamente relacionada com sua singularidade e a ideia corriqueira de que te dizem que você ama alguém ou que você efetivamente fez uma revolução, em geral, é parte…

Ver o post original 209 mais palavras

Anúncios