O julgamento do mensalão não é vitória da esquerda

por Venâncio Guerrero

Eu acho errado o julgamento do mensalão, acho que a mídia fez um show fascista para no limiar querer destruir toda a esquerda, se livrar dos petistas, ainda que os petistas fizessem de tudo por eles. A síntese entre meios sensacionalistas e um judiciário – aristocrata, burguês, prepotente e ineficiente – é isto, fala-se muito, cria-se um nome que fala pelas leis, que fala em nome da relevância das coisas. Apenas nomes e desgraçados, bandidos e vagabundos. Por que são assim?

Pois são a Esquerda, a Corrupção, a Bandidagem. Argumentos circulares, pois são mera propaganda de nomes. Petralas, mensaleiros e fofoca, destruição de tudo o quanto é real e sensível por trás de um ato contraditório. O fascismo para mim no limite é a fofoca e a desqualificação feito método. O julgamento do mensalão se baseou na caricatura e na destruição, concentrando em pessoas o problema do mundo: Por isto não foi uma vitória nossa, da esquerda, daqueles que sonham com outro mundo e não este melhorismo que vai acabar em barbárie para classe trabalhadora.

Sim, foi ódio de classe. O PT não é a burguesia, ele hoje é seu representante, porém não implica que um setor dela, não queira sempre pressionar este partido para liquidar qualquer possibilidade de uma esquerda nascente. É como dizer: o que há de corrupto é o que há de esquerda no PT.

 Entretanto, não acho que o PT representa alguma oposição fundamental aos projetos da direita do país, da maioria desta direita, a mídia tem suas loucuras mais à direita. Mas Blairo Maggi, Júnior da Friboi, o Dono do Itaú, todos estes estão felizes com o PT e por isto eu estou triste com o PT, pois acho que o maior inimigo do povo brasileiro é o capitalismo e sua corja conservadora (cultura e economicamente) representante tupiniquim desta classe histórica. Os mais de 10 anos de governo do PT foram muito melhor ao capital brasileiro que ao povo. As pequenas concessões tendem a ruir-se ante os ciclos econômicos. Os próximos junhos virão para demonstrar isto ao petista mais fanático. O povo quer mais e isto não poderá vir do PT.

 Não tenho a menor simpatia pelo Dirceu, nem pelo Genoíno. O maior crime deles – não sei e não posso provar nada a respeito do mensalão, por isto nem afirmo nada aqui – foi desmontar o que havia de radical no PT, e ajudar na desconstrução da esquerda no Brasil. Para mim não são heróis nem guerreiros. Ora, a reforma da previdência – ato originário do pecado – foi um crime em si contra os direitos dos trabalhadores. Os conflitos por terra neste país são parte da articulação montada por estes personagens e o agronegócio. Ora crimes existem e muitos, porém só serão julgados corretamente por um tribunal popular do povo pobre.

A esquerda não ganha em comemorar o mensalão, pois a corrupção como caricatura trás a tona a mais sombria política da Ordem por cima dos partidos. Não adianta utilizar “mensalão”, “petralhas” como forma de construir uma política, isto é antipedagógico e antirrevolucionário. A política transformadora é aquela que qualifica o debate político, traz à tona as verdadeiras causas por trás dos problemas, e coloca o povo no lugar dele, que é do fazer a política e não “assistir a política desqualificada feita por outros”. Também não ganha nada em exaltar a Dirceu e Genoíno, pois acaba sendo conivente com seus crimes contra a própria esquerda.  Triste fim do Policarmo Quaresma, é triste, como todos os finais tristes, porém não vou comemorar, nem vou chorar.

Anúncios