A GOL anunciou demissões em massa e o capitalismo democrático.

Por Venancio Guerrero

Nesta sexta-feira tivemos uma notícia da força do nosso capitalismo: “A Gol (…) disse que vai cortar mais 850 empregados” (1). Em 2012, já havia demitido 3.000 pessoas. A empresa considerada popular e democrática anunciou que já está defasado o modelo de passagens populares e vai aumentar preço das passagens, por aumento de custos. Ainda, vai inutilizar aviões defasados. Mas, será que agora que há custos elevados, menos aviões não aumentarão ainda mais a necessidade de voos e, portanto a pressão para que preços subam? Que significa então esta compra?

Quando a GOL entrou no mercado, pareceu uma democratização de voos: preços baixos e populares. Enfim, mudando o padrão de concorrência do mercado, democratizando um consumo antes de “luxo”. Aqui o capitalismo pode, por meio do mercado, inserir novas e novas pessoas no consumo de massas.

Porém, vemos a imagem real do capitalismo “democrático”: “A Gol concluiu a compra da WebJet em outubro de 2011, por R$ 70 milhões, além de ter assumido dívidas de cerca de R$ 200 milhões” (1) . Portanto: “A Gol irá devolver as 20 aeronaves Boeing 737-300 da Webjet até o final do primeiro semestre de 2013” (1). Enfim, ledo engano, a competição não gera democracia, sim, disputa que nos términos do capitalismo é: concentração e centralização. Que isto? Monopólio e Oligopólio. Que isto? Agora eles detêm mais mercado. Os “consumidores” da WebJet e todos estamos em suas mãos.

A GOL depreciou preços, porque queria ganhar mercado, aumentar acumulação e agora poder comprar outras menores.  “O modelo de passagens populares está ultrapassado”, aqui demonstra que a Gol estava sofrendo com a oferta adicional da Webjet, que diminuía preços e eles queriam aumentar o preço, mas só podem fazer isto, se detém mais mercado e diminuem a oferta, desutilizando aviões.

Assim, vai haver menos oferta de voos, portanto menos força produtiva, mesmo que haja aviões para serem usados e ofertar mais voos e pessoas que estão dispostas a trabalhar para isto.

Desta forma, vemos a democracia capitalista, mais competição é disputa para eliminar competidores, ou seja, nosso campeonato tem um campeão e os outros já não jogam mais, isto é, dinheiro e poder centralizado nas mãos de alguns que decidem demitir muitos e não mais usar coisas já produzidas.

Por fim: “A segunda maior companhia aérea do país encerrou o segundo trimestre com prejuízo líquido de 715,1 milhões de reais, praticamente o dobro do resultado negativo apurado um ano antes, de 358,7 milhões de reais” (2).

Aqui demonstra que a GOL também vinha tendo prejuízo e não lucrando, por isto, usou sua força “acumulada” com o papo de empresa popular para tirar concorrente, aumentar mercado e lucros.

Enfim, lucros caindo, significa dificuldade do capital valorizar-se, fazer mais dinheiro com o trabalho dos outros. Isto aumenta a disputa de mercado e com isto o “capital” – o poder do dinheiro mandar nos outros –  elimina o que construiu, ou seja, desutiliza forças produtivas e trabalho, para manter alto o excedente gerado, o “lucro”.

Aqui o fantasma da crise parece querer aparecer: lucros baixos, crescimento do preço dos insumos (combustíveis altos, Por quê? Por quê? Petróleo alto e as bolsas ganham com que a especulação de seu preço). Mais disputas de mercados, prejuízos de alguns enfim, que vem depois? E, o Brasil? Dólar alto.

E, nosso governo dos trabalhadores? “O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a fusão das duas empresas em outubro” (1).  E, agora que medida vai tomar com as demissões destes 800 trabalhadores, se já deixou 3.000 antes serem demitidos?

Será que a GOL sobrevive, e senão que tubarão vai engoli-la? Assim, quantos mais vão ser despedidos. E, por que os trabalhadores demitidos não tomam os aviões desutilizados. Enfim, até quando vamos ser mandados pelo poder do dinheiro decidir: “que, como, e quanto deve ser produzido?”

 

Fontes das matérias utilizadas para o texto

(1)   http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/11/23/preco-de-passagens-aereas-deve-subir-com-fim-da-webjet-dizem-especialistas.jhtm

(2)   http://exame.abril.com.br/negocios/empresas/noticias/gol-sofre-prejuizo-de-r-715-1-mi-no-2o-tri-revisa-projecao/

Anúncios