COMITÊ INTERNACIONAL DE SOLIDARIEDADE AO POVO GUARANI e KAIOWÁ

É com muita indignação que recebemos a notícia de que o inquérito policial aberto contra o professor Jorge Sanches, indígena professor na Missão Evangélica Caiuá em Dourados, por estupro cometido contra uma menor, de 14 anos, filha de lideranças Guarani Kaiowá, foi arquivado.

A alegação é de que há falta de provas, contudo na fase de investigação sequer foram ouvidas as testemunhas que alegam que isso já ocorrera com outras meninas. Além disso, em visita a São Paulo, junto com seus pais, para participarem de debates de denúncia sobre a violência vivida pelo povo Guarani Kaiowá, a menor fez consulta médica que constatou sua gravidez, compatível com o período em que foi vítima da violência sexual, tendo sido encaminhada a um Centro de Referência da Saúde da Mulher para procedimento cirúrgico. Ou seja, foi reconhecido o crime, permitindo a realização de aborto legal decorrente de estrupo, conforme previsto no Código…

Ver o post original 573 mais palavras

Anúncios