Amnésia eleitoral sem-querer-proposital

Por Noel Guerra Jr.

Vim falar dos seus problemas
Mas a memória já os anulou
Nossos sonhos adormeceram
Nossos gritos silenciaram
Tudo, até você, que pensa ser possível escolher moléculas limpas de ar pra respirar, mostramos o cofrindo ao nos abaixar

Eu aqui, armado com meu escudo, te convidando a nos amar
Você aí, no auge da indignação, reclamando… 
dos cavaletes que tem que desviar

Eu aqui, armado com meu escudo, te convidando a nos amar
Você aí, fervilhando de mau-humor, resmungando…
das propagandas políticas que tem que escutar

Eu aqui, armado com meu escudo, te convidando a nos amar
Você aí, bufando de puteza, regurgitando…
Sobre o saco que é perder domingo pra votar

Esqueceu?

Quando éramos nós
Fechávamos as ruas
Eles reclamavam do trânsito

Quando éramos nós
Denunciávamos o monopólio da mídia
Eles resmungavam sobre nossa censura

Quando éramos nós
Presos por lutar
Eles regurgitavam a ordem por estabelecer

Odeio cavalete, propaganda e domingo perdido
Mas vai olhando você
Quando éramos nós

Não posso mais ser nós
Se sigo fechando ruas sou oportunista por fechar
Se deixo que feches ruas sou traíra por deixar

Se levanto nossas bandeiras na mídia sou oportunista por levantar
Se deixo que não levantem sou traíra por deixar

Se luto contra prisões sou oportunista por lutar
Se deixo prender você sou traíra por deixar

Esqueceu?

Também odeio cavalete, propaganda e domingo perdido
Mas vai olhando você
Se voltássemos a ser nós

A política ainda seria do indivíduo
Mas nós seríamos coletivo
O dinheiro continuaria comprando
Mas nós não nos vendendo
O estado continuaria matando
Mas nós estaríamos armados,
Agora, com nosso escudo,
Convidando outros para amar
o tesão que é ser nós.

Anúncios