Soñadores Prácticos

Por Romero Venancio  (Universidade Federal de Sergipe)

Em um pouco mais de duas horas um espectador atento fica mais do que deslumbrado com a beleza e a plasticidade do documentário de Wim Wenders sobre a coreógrafa Pina Bausch. Com uma direção impecável e um movimento de câmara que parece querer mimetizar os corpos em dança constante, o diretor fez uma obra prima que marcará o cinema documental para sempre. Filmado em 3D para melhor precisar os detalhes dos movimentos dos dançarinos e dançarinas da Companhia Tanztheater de Wuppertal e deixando bem claro uma posição estética: a tecnologia não pode substituir a arte, Wenders nos comove e nos politiza, sem tirar, nem pôr.

Porém, a arte de Pina Bausch não se limitava a apenas uma “forma de arte” (o que já era extraordinário o que fazia com os corpos em sua companhia), mas ensaiava sempre uma “disposição libertária” de cada corpo…

Ver o post original 560 mais palavras

Anúncios