Uniao Campo Cidade e Floresta

do blog de MARCELINO FREIRE

Deve ser isto. Por este motivo. Descobri. Eles não gostam do diminutivo. Daquilo que nasce pequeno. E se agiganta. Daquilo que é fruto da teimosia. Da força de um povo. Gente que se apropria de espaços que ninguém dá valia. Gosta do que ninguém gosta. Por exemplo: de poesia. De arte na periferia. E que arte!

Há 15 anos o Sarau do Binho (foto), o mais antigo que temos, promove essa revolução. Guiada pelo coração do grande poeta. Pelo sonho que ele arquiteta para a sua comunidade. Binho é do tamanho da nossa cidade. Patrimônio de nosso país. Quem conhece o Binho sabe o que a minha alma diz. Entende por que, aqui, estou gritando. Mais uma vez inconformado.

Uma hora é o Moinho, noutra o Pinheirinho. Agora o Binho. Perdão se exagero na comparação. Mas é a verdade. Com o fim do Sarau do Binho muitas…

Ver o post original 168 mais palavras

Anúncios