Saudades do Futebol Arte.

Por Venancio Guerrero

Saudades de um futebol de verdade. Qual futebol? O Futebol arte. O sentimento de construção humana verdadeira. Pernas, mãos, sentimentos! Sim. Sim. Tudo junto num certeiro e bonito gol! Saudade do sentimento de ver um corpo fazendo malabarismos. É a união do corpo, da mente e do coração na busca de um sentido de uma cultura. No sentido de uma brincadeira.

Que saudades desta arte de massas, arte popular, pois arte singular. Arte que sente o homem e a mulher na sua individualidade, mas é a individualidade com o outro. A arte de uma equipe compacta. Sim, o futebol em que o companheiro é necessário, importante também uma pessoa ágil e criativa. Que saudades do futebol em que o povo vive junto com o singular e o singularizado.

Sim é arte. Mas, estou com saudade desta arte. Da arte do futebol bonito. De vez em quando consigo matar a saudade. Sim. De quem devo ter saudade? Ah (…)! Era o Sócrates que chutava de longe, de calcanhar, preciso, bonito e Gol! Resultado é o gol? Não. Não é o gol. É a arte, resultante em gols. Às vezes é a vitória. Muitas vezes só é arte. Não é uma arte coisificada, massificada, não, não. É uma arte que valoriza o sentido. Pois, Sócrates extrapolava a arte de dentro das linhas do campo. Ele fazia de seu encanto, um clamor verdadeiro do povo brasileiro. Pois, estava lá no épico protesto, que queria chutar para longe a Ditadura.

Sim. Dá muita saudade do Futebol Arte. Palavra gasta. Mas, afirmação necessária. Pois, o futebol morre sem arte, se torna massa. Dinheiro. Dinheiro. Dinheiro. Que é o Futebol dinheiro? È o futebol do coice. O futebol da corrupção. O Futebol sem graça da Nike, da Adidas. Da Marca. Do Popstar. É o Futebol ódio. Violência da exploração e opressão sublimada. Chutar a cara do torcedor. Chutes e coices. Sim. Aqui se resume o Futebol Dinheiro.

É verdade que o Futebol Arte é refém do Futebol Dinheiro. Sim. Um drible de Neymar. Um Gol de Messi. Arte. Pura arte. Também, dinheiro, puro dinheiro. Toda magia e criação viram nada, no momento que estes jogadores viram garotos-propaganda de um mundo homogêneo. Quando o Neymar se torna uma Marca, ele perde originalidade, sedução e singularidade. Ele vira mercadoria. Pasta dental. Coca-cola. Palito de dente. Nada mais que mercadoria.

Ah! Saudades da arte do futebol amador. Crescer jogando feio, mas bonito na alegria de meus amigos. Na alegria de criar jogada e drible endiabrado de moleque inventor. Sim. Vontade de passar a tarde na arte de criar momentos felizes em meio à opressão geral.

Sim. O Futebol é arte, pois cria redação popular. O que é redação popular? É a educação de uma lógica própria para enfrentar a vida. Para traduzir a realidade vivida. Sim. Aqui o menino aprende que limpar o meio de campo é organizar sua vida, é apaziguar suas relações, é reatar com a menina. Pois sim, jogo bonito é fazer o melhor e com a arte própria do futebol.

Que saudades do futebol arte que ensina a viver, a dar sentido, a chorar, a se apaixonar. Este futebol arte que cada vez mais está tomado pelo Futebol do Dinheiro. Futebol do Coice. Futebol da Marca. Futebol tonto.

Anúncios