amor moderno

Por Felipe Spack

Vem, minha Lésbia, minha musa eterna
Dá-me mil beijos e mais mil e cem
E as graves vozes velhas pós-modernas
Valham para nós menos que um vintém

Vem, minha querida, chega de instantes
Vamos amar o que é universal
Teus olhos serão meus astros constantes
Tua boca, meu rubi, meu coral.

Pão, pão, queijo, queijo, e dá-me outro beijo
Que passearemos curtindo os vãos
dos prédios modernistas desta rua

E à noite, tua silhueta nua
À lua crescente em imitação
Despertará intenso o meu desejo

Anúncios