Abalo-Brado

Por Lucas Perucci

“Foi lá onde a elevação nos preços dos alimentos teve maior impacto, já que 80% da população vive com menos de US$ 2 por dia. Sem dinheiro para comprar comida, uma das soluções encontradas pelos haitianos foi comer tortas e biscoitos feitos a partir de lama. Esses alimentos, apesar de não terem valor nutricional, enchem o estômago e “acalmam a fome”. A venda dessas tortas acabou criando condições para o desenvolvimento de uma indústria lucrativa ainda que rudimentar.”

Ricardo Seitenfus membro da missão jurídica da Organização dos Estados Americanos (OEA) e consultor do governo brasileiro para questões do Haiti

O     D    S

N     A

Vibrrrrrrrrrrrrrrrram

Estação Guerra-civil,

Iraque-Haiti-Brasil.

Dado deliberada

Chacina Soft-Power

Democrata.

 

Minustah

Lucro-guiada,

pela imperial-guarda

Azulamarelada.

Democrata-programa

da ex-Guerrilheira

agora,

burgo-burocrata.

 

Bradaram: livres livres!

da latinoamérica

Do jugo escravocrata.

 

Agora livres livres!

Livre-liberado

A inflação dolarizada

do Alimento-lama

engordurado.

 

O intestino-cimentado,

pelas Morais-Votorantins,

das guerras sem fins,

vitórias ou

glórias.

 

Aos irmãos e irmãs

que desconheço!

São vocês os primeiros,

Que bradaram: livres livres!

da latinoamérica

do jugo escravocrata.

 

Às Balas Haiti!

De Abalo-Brado: livres livres!

Ao sísmico

arraso

imperial-bucrocrata

azul-amarelado.

Anúncios