Apelo à solidariedade com os povos da Grécia

Junte a sua assinatura à declaração de solidariedade com o povo grego, apoiada por líderes sindicais, membros do Parlamento Europeu e outros activistas,publicada no Guardian.

 

O povo grego enfrenta uma crise política e económica sem precedentes. O país está a ser arrastado para a pobreza e para o desemprego massivo pelas exigências da chamada troika — União Europeia (UE), Banco Central Europeu (BCE) e Fundo Monetário Internacional (FMI) —, a qual impôs, como Primeiro-Ministro, Lucas Papademos, antigo vice-presidente do BCE.

Na Grécia, os medicamentos mais básicos estão a esgotar-se nos hospitais, quase metade da população jovem está desempregada, os trabalhadores de vários sectores não são pagos há vários meses e muita gente é forçada a recorrer à sopa dos pobres ou a restos nos caixotes do lixo.

Agora a troika exige um corte de 23% no salário mínimo, o despedimento de dezenas de milhares de trabalhadores do sector público e uma nova redução drástica das pensões, que já tinham sofrido anteriormente um corte de cerca de 50%. O capital internacional está a aniquilar a riqueza de um país inteiro e a destruir o seu tecido social.

A Grécia está na vanguarda de todas as políticas de austeridade que estão a ser introduzidas na Europa. Todas as evidências mostram que estas medidas protegem os interesses dos ricos mas apenas pioram a situação da maior parte da população. Aquilo que se vê hoje na Grécia chegará amanhã a Portugal e à Irlanda no dia seguinte. Na Grã-Bretanha, o governo de coligação está a implementar medidas similares, que levarão ao corte dos rendimentos do trabalho, a reformas mais tardias com pensões mais reduzidas e ao desmantelamento do serviço nacional de saúde e de outros serviços públicos.

Mikis Theodorakis, famoso compositor grego da Dança de Zorba, e Manolis Glezos, antigo resistente contra a ocupação nazi, emitiram um comunicado em que apelam à formação de uma Frente Europeia para a defesa do povo grego e de todos aqueles que enfrentam a austeridade.

A Coligação da Resistência e a Carta do Povo decidiram apoiar este apelo e acordaram trabalhar em conjunto com sindicatos, movimentos e partidos de toda a Europa, de modo a fundar um Movimento de Solidariedade Europeia para defender o povo grego. O movimento pretende organizar a solidariedade e providenciar apoio real ao povo da Grécia; este não pode ser obrigado a pagar uma crise pela qual não é responsável.

Tradução de Helena Romão

Revisão de Rita Veloso

(Portuguese Citizen’s Audit on Public Debt Initiative)

 

Para assinar siga o link: http://www.coalitionofresistance.org.uk/2012/02/sign-the-appeal-for-solidarity-with-the-people-of-greece/

Anúncios